segunda-feira, 30 de março de 2015

Lição 3: Temos apego ao que nos causa dor!

Continuando com a nossa reflexão sobre a atitude do nosso cãozinho Bethoven, encontramos um outro ponto a analisar: 

Betovem não abandonou o osso depois de sentir uma dor dilacerante. Ele não podia usufruir do osso, mas também não o abandonou.  
Bethoven Posando de novo para o Blog:
Quer saber a história toda? 
Acesse a publicação de 10/02/2015!


Quantas vezes nós nos apegamos a pessoas, coisas e situações que nos ferem, nos impedem de ser feliz? Quantas vezes também queremos viver coisas que foram boas no passado, mas hoje já não fazem mais sentido?  Ou ficamos apegados na promessa de que as coisas vão melhorar, sendo que pra ser feliz nós precisamos deixar para trás o que nos fere para seguir em frente e ser feliz? Nós, com medo de ficar sem nada, no vazio, acabamos nos apegando a coisas que nao nos fazem bem… como um relacionamento, um trabalho, um hábito, a uma mágoa, um ressentimento…


Precisamos analisar a quais coisas estamos apegados. Se o que temos apego nos faz mal, é importante refletir sobre o motivo de continuar ligado a algo que não traz nada de bom.


É uma reflexão muito importante, porque ao cultivarmos a dor, ela vai aumentando, e nossa negatividade e infelicidade também. Acabamos nos tornando "reclamões", nos fazendo de vítimas, de coitadinhos. Ou nos tornamos pessoas frias, duras, raivosas, que brigam sem motivo ou não conseguem vivenciar o amor.


Existe uma teoria da física que dizem que dois corpos não podem ocupar o mesmo lugar ao mesmo tempo. Na nossa vida emocional, isso também é verdadeiro. Se nos apegamos a coisas que nos fazem mal, a negatividades, não há espaço para as positividades fazerem parte de nossa vida. 

Se cultivamos a dor, a felicidade não vai ter lugar.

Por isso a auto-análise e o auto-conhecimento podem nos ajudar a sermos mais felizes e termos melhores relacionamentos. Existem muitos caminhos para o auto-conhecimento: meditação, oração, alguns cursos específicos e a psicoterapia. 

Muitos pensam que ir no psicólogo pra fazer terapia é coisa de quem está maluco ou doente. Muito pelo contrário. Por meio da conversa com o psicólogo temos a oportunidade de conhecer mais a respeito de nós mesmos e de coisas que nos passam desapercebidas. Quando nos conhecemos melhor, nos relacionamos melhor. E em muitas situações, na terapia, trabalha-se também a cura de dores emocionais, de mágoas, com o melhor entendimento a respeito de si e dos outros. 

A idéia é que, seja qual o caminho que você deseja seguir, busque o auto-conhecimento, busque tratar suas dores. Porque todos nós temos dores emocionais (desde a mais inocente criança, até o homem mais poderoso do mundo). Está na nossa mão decidir crescer, superar nossas limitações e buscar uma vida mais plena e alegre. Ou podemos escolher ser como o Bethovem, apegado a um osso que não pode mais roer. A escolha é nossa!

Melhor é escolher ser feliz!


Nenhum comentário:

Postar um comentário